Marx e Lacan: Quando a mais-valia encontra o mais-gozar

Por Alenka Zupancic, traduzido por João Matheus Cassarott; Daniel Alves Teixeira (membro do Círculo de Estudos da Ideia e da Ideologia); e José Mauro Garboza Junior (membro do Círculo de Estudos da Ideia e da Ideologia)

Esta é a tradução parcial de um texto de Alenka Zupancic chamado “Quando a mais-valia encontra o mais-gozar”. Publicamos parcialmente o texto para que os leitores possam conhecer melhor esta importante filosofa da escola lacaniana de Liubliana, que possui como outros expoentes Slavoj Zizek e Mladen Dolar. A integra da tradução será futuramente publicada através de revistas oficiais.

Continue lendo…

Anúncios

Antes do Amanhã: Para uma Crítica da Razão Neurobiológica

Por J-C Martin, via Strass de La Philosophie, traduzido por Daniel Alves Teixeira.

Em entrevista para J-C Martin, a filosofa Catherine Malabou debate a ideia de “virar a página” da metafísica kantiana – e o que as recentes descobertas neurológicas sobre a formação do cérebro humano podem implicar para a filosofia. Continue lendo…

Badiou quer salvar a matemática

Por Phelippe Petit, via Marianne, traduzido por Daniel Alves Teixeira.

Não é todo dia que um filósofo pega a pluma, ou antes, a palavra, para se colocar como um defensor incondicional dos ensinamentos dos matemáticos. A distância que hoje se cavou entre as disciplinas – notadamente entre as disciplinas literárias e as disciplinas científicas – é tal que é frequente em nossos dias de considerá-la como uma norma. Continue lendo…

O Inimigo Terrorista: apenas mais um

Por Lucas Maurício.

Há exatos 14 anos, no dia 20 de setembro de 2001, Georg W. Bush, na época presidente dos Estados Unidos, declarou guerra ao terror. As razões expostas, em seu discurso, perante o congresso, parecem claras e se estruturam com base nos velhos e hipócritas valores da “democracia” norte-americana: liberdade e justiça. Continue lendo…

Protestos de massas na Moldávia

Por Gabriel Landi Fazzio.

Na Moldávia, um dos mais pobres países da Europa, a população segue mobilizada desde o dia 6 de setembro, quando cerca de 100 mil manifestantes (em um país de 3,5 milhões de habitantes) tomaram as ruas da capital, Chișinău (com menos de 700 mil cidadãos) para protestar contra o aumento do custo de vida, das tarifas dos serviços públicos, a corrupção e a desigualdade. Continue lendo…

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑