O dever de ser inominável

Por Julio d’Avila

Conheces o nome que te deram,

não conheces o nome que tens

Livro das Evidências

Continue lendo “O dever de ser inominável”

Anúncios

O que explica o crescimento da direita? Reflexões de pé de página

Por Douglas Rodrigues Barros

Semana passada um instigante e detalhado artigo publicado no The intercept Brazil[1] trouxe à tona aquilo que intuíamos, mas que, não obstante, carecia de um estudo mínimo que desse nome aos bois. Continue lendo “O que explica o crescimento da direita? Reflexões de pé de página”

2016, o ano que não terminou

Por Douglas Rodrigues Barros

Sócrates ao conversar com Êutifron às portas do edifício do arconte-rei nos deixou uma importante lição: a impossibilidade de medir uma ação a partir da conjuntura imediata. Quem conhece o belíssimo texto platônico sabe que, malandramente, Êutifron, depois de se deixar envolver pela maiêutica, se cansa e interrompe o diálogo com as singelas palavras: “agora estou com pressa e está na hora de me retirar Continue lendo…

A república das bananas

Por Douglas Rodrigues Barros

A deposição de Dilma Rousseff trouxe atona diversas questões sobre a política nacional. De certa forma, estamos de volta à republica das bananas, tomada por interesses escusos das velhas elites familiares. No presente artigo o autor aborda como a farsa jurídico-parlamentar de 2016 Continue lendo…

Haverá rentrée na França?

Por Frederico Lyra de Carvalho, Lille 3/CEII

“Avançando um pouco o sinal, talvez percebamos que as lutas eram, de forma geral, uma tentativa desesperada de manter-se fora da camada dos excluídos, e, sendo um pouco cruel, poderíamos dizer que foi uma tentativa de garantir que a exploração do capital Continue lendo…

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑