A ideologia das negociações

Por Agon Hamza, traduzido por Rodrigo Gonsalves e Daniel Fabre

Dez anos após Kosovo ter declarado sua independência da Sérvia, o país está entrando em uma nova época política, que é uma ameaça não apenas para seu modo de funcionamento e de organização político-jurídica, mas para sua própria existência. Continue lendo “A ideologia das negociações”

Anúncios

A passagem

Por Joelton Nascimento[1] e Silvia Ramos Bezerra[2]

Presenciamos hoje processos extremos onde alcançamos os limites de nossos modos de vida: limites econômicos, limites ecológicos, limites cognitivos. Sabemos, todavia, que outros modos de vida só podem ser alcançados após um incerto processo de transformação mais ou menos longo, mais ou menos tortuoso, mais ou menos difícil. Marx deu a isso o nome de transição. Continue lendo “A passagem”

2013, ano sindical

Por Alexandre Pimenta¹

2013 normalmente é lembrado pelas gigantescas manifestações de rua em mais de 300 municípios; como uma mais um capítulo de uma primavera dos povos contemporânea que varreu o globo no início da década de 2010, logo após o estouro de uma nova crise global do capitalismo. Um ano de novos repertórios de protestos e sujeitos políticos, fora e até contra o sindicalismo, por demais ligado a conflitos anacrônicos e, no caso Brasil, ao setor que se fusionou com o governo alvo das manifestações. Continue lendo “2013, ano sindical”

O teatro como sintoma: Uma análise sobre cinco encenações da peça Cenas do Baixo

Por Douglas Rodrigues Barros

“Cenas do Baixo”, sob direção de Roberto Alvim e Juliana Galdino, pertence a uma certa atmosfera teatral que foi perturbada pela desestruturação e escalada da crise do trabalho artístico independente, tendo tido sua origem no início da década de 1990.  Continue lendo “O teatro como sintoma: Uma análise sobre cinco encenações da peça Cenas do Baixo”

De “lojinha” à maior exportadora de carne do mundo. A JBS é o exemplo da burguesia nacional

Por César Lignelli[1]

Este artigo tem como objeto apontar o itinerário de criação do Grupo J&F, controlador da JBS, que se transformou na maior empresa de processamento de carnes do mundo e cujas atividades foram fomentadas por políticas de Estado, a partir de créditos do BNDES. Na sequência, será realizada uma crítica ao projeto político denominado neodesenvolvimentismo à luz do ideário de Caio Prado Júnior.  Continue lendo “De “lojinha” à maior exportadora de carne do mundo. A JBS é o exemplo da burguesia nacional”

Sobre as eleições presidenciais de 20 de maio na Venezuela

Por Sonia Boueiri, traduzido por Daniel Fabre

Professora venezuelana analisa as eleições presidenciais passadas e aponta as inconsistências do discurso “abstencionista” da oposição. O pleito foi, na verdade, uma grande manifestação por mudanças econômicas e demonstrou que a direita venezuelana perdeu seu “melhor momento eleitoral”. Continue lendo “Sobre as eleições presidenciais de 20 de maio na Venezuela”

A dor para além da dor: o sofrimento como criador de vínculos políticos

Heribaldo Maia, Graduando em História UFPE

No Brasil a crise, não o progresso, se tornou ordem, e em nome dela se faz as maiores barbaridades. Com o golpe que alçou ao poder os setores mais antipopulares, um retrocesso na vida do povo que corrói as chances de vida de milhões ocorre de forma, agora, acelerada: é recorde de desemprego, milhões de pessoas sem moradia, perda de direitos históricos, desmonte do pouco que sobrou do patrimônio nacional, chantagem militar, apologia política do judiciário e extermínio de militantes.  Continue lendo “A dor para além da dor: o sofrimento como criador de vínculos políticos”

Freud e o político

Por Mladen Dolar, via Theory Leaks, traduzido por Aukai Leisner

A questão da política em Freud esconde, sob o ar de inocência, um problema extremamente complicado, talvez impossível. Ambos os termos da expressão – Freud e política – estão longe de ser inequívocos: não é claro, não obstante as aparências, o que se quer dizer por Freud, apesar ou talvez por causa da aura em torno do seu nome e do clamor generalizado que sua fama provocou…  Continue lendo “Freud e o político”

Por uma refundação radical da Europa

Por Étienne Balibar, via Verso Books, traduzido por Daniel Alves Teixeira

Desde o início da era moderna até meados do século XX, a Europa impôs seu domínio sobre todo o planeta. Foi disso que ela tirou a sua riqueza, e foi assim que ela colocou as bases da sua civilização. Mas a Europa é hoje “provincializada”, ou mais precisamente, ela tomou um lugar na semi-periferia da economia e da história mundial.  Continue lendo “Por uma refundação radical da Europa”

Conservadorismo em Foco: Um filme sobre a ideologia burguesa e suas formas de dominação

Por Arthur Moura 

Pensar a comunicação neste contexto asfixiante do capitalismo requer (não contraditoriamente) estrutura material e um certo acúmulo de conhecimento que se adquiri com a experiência e a investigação teórica. Não raro, para se ter condições mínimas de produção nos submetemos a relações de trabalho alienante. É, portanto, algo caro, custoso, mas que ainda assim é de vital importância para ambas as classes. Para a burguesia, como instrumento de dominação. Para os trabalhadores, como ferramenta de luta e emancipação.

Continue lendo “Conservadorismo em Foco: Um filme sobre a ideologia burguesa e suas formas de dominação”

Pragmática psicanalítica da norma jurídica em tempos de exceção

Por Luís Eduardo Gomes, professor na Universidade do Estado da Bahia, UNEB. 

“Mas se a aparência do direito é querida como tal contra o direito-em-si pela vontade particular, que por isso se torna má, o reconhecimento exterior do direito é separado do seu valor; e só aquele é respeitado, enquanto este direito é lesado. Isso dá o não-direito da impostura; – [que é] o juízo infinito enquanto idêntico (§ 173) – a relação formal conservadora como abandono do conteúdo” – Hegel Continue lendo “Pragmática psicanalítica da norma jurídica em tempos de exceção”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑