A Situação da Itália e as Tarefas do Partido Comunista Italiano (PCI): Teses de Lyon

Por Antonio Gramsci, traduzido por Dossiê Gramsci¹. Via Revista de Ciências Sociais

“Trata-se de um texto que contém as teses escritas por Gramsci com a colaboração de Palmiro Togliatti. Elas foram apresentadas por ocasião do III Congresso Nacional do Partido Comunista Italiano (PC I), de 23 a 26 de janeiro de 1926, em Lyon. O grupo politico liderado por Gramsci obteve pouco mais de 90% dos votos, enquanto que a ultra-esquerda liderada por Amadeo Bordiga, cerca de 9%. As Teses de Lyon configuram a tentativa de dotar o PCI de uma linha e de um programa baseado em dois eixos articuladores: análise da realidade italiana; ecompreensão histórica dos objetivos politlcos do proletariado revolucionário.”

Continue lendo “A Situação da Itália e as Tarefas do Partido Comunista Italiano (PCI): Teses de Lyon”

O “Que” de “Que fazer”

Por Louis Althusser, via Cem Flores

“Como o próprio título indica, nessa ocasião, o autor buscou ratificar a relevância teórica e política da “velha pergunta de Lênin” para a classe operária em sua luta, tanto em sua dimensão mais imediata, tática, quanto em sua dimensão de longo prazo, estratégica. Tal pergunta, que surge no fogo da ação, da participação direta na luta de classes de um período, nos leva diretamente ao que o revolucionário russo chamou de “alma viva” do marxismo: a análise concreta da situação concreta.”

Continue lendo “O “Que” de “Que fazer””

A luta pelo posicionamento leninista sobre a Questão Negra nos EUA

Por Harry Haywood, via marxists.org, traduzido por Bruno Santana

Este artigo de Harry Haywood, publicado originalmente em uma matéria de setembro de 1933 da revista O Comunista, faz parte da obra Uma História Documental do Povo Negro nos Estados Unidos da América, organizado por Herbert Aptheker. De acordo com o editor, o artigo original “está publicado abaixo, em parte, com a argumentação central inalterada.” Continue lendo “A luta pelo posicionamento leninista sobre a Questão Negra nos EUA”

Mais do que palavras: formulando palavras de ordem para a luta

Por Derek Ford, via Liberation School, traduzido por Igor Galvão

As palavras de ordem desempenham um papel fundamental em todas as atividades políticas, sejam manifestações locais, piquetes, greves ou movimentos de massa. Embora o fato de que palavras de ordem sejam curtas possa parecer de menor importância ou uma mera questão de semântica, o fato é que as palavras de ordem podem ser fatores decisivos nas lutas políticas individuais e mais prolongadas, por movimentos de reforma e revolução. Continue lendo “Mais do que palavras: formulando palavras de ordem para a luta”

A derrota de Lenin

Por Francisco Martins Rodrigues, via marxists.org

“Estamos em condições bem mais difíceis do que durante a invasão direta dos guardas brancos”. “O Estado não funcionou como prevíramos, o carro não obedece ao condutor”. “Os comunistas julgam dirigir a máquina burocrática mas é ela que os conduz”. A dramática intervenção de Lenin perante o XI Congresso do partido, em Março de 1922, traça um momento-charneira nos destinos da Rússia. No horizonte desenham-se já os contornos da futura URSS de Stálin; para trás fica o fracasso da democracia dos sovietes. Poderia a revolução ter sido salva com outra política? Continue lendo “A derrota de Lenin”

O Fetichismo da “Hegemonia”

Por Agustin Cueva, traduzido por Fernando Savella

Antonio Gramsci se converteu, sem dúvida alguma, numa referência obrigatória para todos os estudos que são feitos atualmente acerca da questão do Estado, tanto na Europa ocidental como na América Latina. De um certo ponto de vista, o autor italiano aparece inclusive como o verdadeiro fundador da ciência política marxista, finalmente livre, como dizem, do “dogmatismo” e do “economicismo” e, portanto, da concepção “instrumental” do Estado que havia caracterizado o pensamento leninista. Dessa forma, Gramsci se tornou uma espécie de ‘anti-Lenin’, dotado de incalculáveis projeções teóricas e políticas.

Continue lendo “O Fetichismo da “Hegemonia””

As tarefas dos social-democratas russos

Por Vladimir Ilitch “Lenin” Ulyanov, via Marxists.org, traduzido por Gabriel V. Lazzari

Aqueles que acusam os social-democratas russos de terem uma visão estreita, de tentarem focar nos trabalhadores fabris em detrimento da massa da população trabalhadora, estão profundamente equivocados. Ao contrário, a agitação entre os setores avançados do proletariado é o mais certeiro e único jeito de insurgir (quando da expansão do movimento) o proletariado russo inteiro.

Continue lendo “As tarefas dos social-democratas russos”

Sobre a confusão entre política e pedagogia

Por Vladimir Ilitch Lenin, via marxists.org, traduzido por Gabriel Lazzari e Gabriel Landi Fazzio

O seguinte texto foi escrito em Junho de 1905 e primeiramente publicado, de acordo com o manuscrito, em 1926, em Lenin Miscellany V. A fonte utilizada para a tradução para o português foi publicada na Lenin Collected Works (Foreign Languages Publishing House, 1962, Moscou, Volume 8, p. 452-455), traduzida para o inglês por Bernard Isaacs e Isidor Lasker, transcrito para o Lenin Internet Archive (2003) por R. Cymbala. Continue lendo “Sobre a confusão entre política e pedagogia”

O que é agitação e o que é propaganda? Algumas questões na era das mídias digitais

Por Gabriel Landi Fazzio

“20. Nossa tarefa mais importante antes do levante revolucionário declarado é a propaganda e a agitação revolucionária. Esta atividade e sua organização é conduzida freqüentemente ainda da antiga maneira formalista. Em manifestações ocasionais, reuniões de massas e sem cuidado com o conteúdo revolucionário concreto dos discursos e panfletos.” Em “A Estrutura, os Métodos e a Ação dos Partidos Comunistas”, III Internacional, 1921. Continue lendo “O que é agitação e o que é propaganda? Algumas questões na era das mídias digitais”

Centralismo democrático: “Liberdade para Criticar e Unidade de Ação”

Por Vladimir Ilitch Lenin, via marxists.org, traduzido por Gabriel Landi Fazzio

O centralismo democrático é uma das mais importantes contribuições da práxis de Lenin à luta do proletariado revolucionário. Contudo, em meio aos mais de 45 volumes de textos que produziu ao longo da vida, utilizou o termo apenas um punhado de vezes. Continue lendo “Centralismo democrático: “Liberdade para Criticar e Unidade de Ação””

Tese do Partido Comunista da Grécia ao 20º Encontro Internacional de Partidos Comunistas e Operários

Por KKE, via Solidnet, traduzido por Gabriel Landi Fazzio

Nos dias 23 a 25 de novembro, em Atenas, Grécia, o Partido Comunista da Grécia (KKE) sediará o 20º Encontro Internacional de Partidos Comunistas e Operários. Em outra ocasião, já abordamos o papel de destaque deste partido para a rearticulação do movimento comunista internacional. Continue lendo “Tese do Partido Comunista da Grécia ao 20º Encontro Internacional de Partidos Comunistas e Operários”

Redes sociais e centralismo democrático: oportunidades e desafios

Por Ben Becker, via Liberation School, traduzido por Gabriel Landi Fazzio

Este artigo é a versão editada de um documento interno do PSL (EUA – Partido pelo Socialismo e pela Libertação), inicialmente escrito no final de 2015. O documento embasou amplas discussões sobre a questão em todo o partido no início de 2016, examinando as novas possibilidades e dificuldades colocadas pela proliferação das mídias sociais a partir da perspectiva de um partido leninista. Continue lendo “Redes sociais e centralismo democrático: oportunidades e desafios”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑