20 Anos da morte de Chico Science

Por Frederico Lyra de Carvalho

A ideia deste artigo é menos falar sobre as novidades musicais que Chico Science, junto com a Nação Zumbi, trouxe à música não apenas pernambucana, mas brasileira, ou da marca e abertura que deixou como herança para os criadores musicais que lhe seguiram (mas também, negativamente, para os que não o quiseram seguir),ou ainda daquela memória ainda viva daquela segunda-feira 03 de fevereiro em um longínquo 1997, Continue lendo…

Anúncios

Quinze teses sobre arte contemporânea

Por Alain Badiou, via LacanianInk, traduzido por Leandro Machado e Daniel Fabre

As quinze teses sobre a arte contemporânea de Alain Badiou é a melhor manifestação das ideias do filosofo sobre as leis e protocolos da pratica artística atual. Da tese um à oito Badiou descreve as características gerais, nas seguintes avança Continue lendo…

O futuro em dois tempos

Por Alex Barbosa Paula, membro do Círculo de Estudos da Ideia e da Ideologia 

O livro “Fundação”, de Isaac Asimov, um famoso escritor de ficção cientifica da década de 50, conta a historia de uma humanidade que há muito saiu da Terra e através de milhões de anos se espalhou por toda galáxia, se unificando em um único império composto de um quintilhão Continue lendo…

Por uma escuta e música Comunista

Por Frederico Lyra de Carvalho via Analytica

Neste artigo discutimos as possibilidades da escuta e de uma música comunista. Contra o que chamamos de paradigma da escuta condominial, defenderemos a tese de que a escuta deve ser intrinsecamente dialética na sua relação entre indivíduo e coletivo. Em seguida sugeriremos o que seria esta música comunista e como ela pode nos aparecer.

Continue lendo…

A pobreza em Dostoiévski

Por Eduardo Henrique Nascimento Silva

Escrever um romance social em uma Rússia dominada pelo despotismo czarista, século XIX, não levou Dostoiévski ao título de pioneiro; mas escrever um romance social em que abordasse profundamente as lamentações e desgraças dos pobres Continue lendo…

Gramsci contra o “marxismo cultural”

Por Gabriel Landi Fazzio, imagem via AsymptoticWay

A prisão de Antonio Gramsci, em 8 de novembro de 1926, marca também o auge da repressão fascista, após o terceiro atentado contra Mussolini. O comunista foi sentenciado a cinco anos de confinamento e, no ano seguinte, a 20 anos de prisão em Turi. Em 1934, já bastante doente, foi libertado condicionalmente para tratar-se. Morreu em Roma, três anos depois, aos 46 anos. Em seu julgamento, o promotor teria afirmado que “é preciso impedir este cérebro de pensar por vinte anos”. Continue lendo…

O capitalismo? Uma religião. O homem? um animal “sem propósito”. A lei? Demasiado presente.

Por Juliette Cerf, via Telerama.fr, traduzido por Daniel Fabre.

A filosofia do italiano Giorgio Agamben atravessa disciplinas, tradições e tópicos, para desenvolver questões políticas e filosóficas com base na crítica. Movendo-se da religião, lei e língua para capitalismo, trabalho, soberania e crise econômica, seu pensamento joga novas luzes sobre a condição humana contemporânea. Esta entrevista, sua mais recente, também não é exceção. Continue lendo…

Classe, Raça e Ideologia

Por Kwame Nkrumah, traduzido por Daniel Fabre.

Kwane Nkrumah foi o grande líder da independência de Ghana e um dos mais influentes pensadores do chamado ‘socialismo africano’. Influenciado pelas ideias de Marcus Garvey, do marxista C.L.R. James, do exilado russo Raya Dunayevskaya e do sino-americano Grace Lee Boggs, Nkrumah desenvolveu sua obra em constante relação com os desenvolvimentos da luta independentista na África.

Continue lendo…

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑