A autocracia e o proletariado

Por Vladimir Ilitch “Lenin” Ulyanov, via marxist.org, traduzido por Rodri Villa

“A autocracia pode manter a paz real apenas com um punhado de magnatas altamente privilegiados da classe proprietária e comerciante, mas em nenhum sentido com essa classe como um todo. Portanto, é extremamente importante que o proletariado com consciência de classe tenha uma compreensão clara tanto da inevitabilidade dos protestos dos liberais contra a autocracia quanto do caráter burguês real desses protestos.” Continue lendo “A autocracia e o proletariado”

O papel internacional da China

Por Elisseos Vagenas, via KKE, traduzido por Guilherme Laranjeira e Beatriz Lazari 

A ascensão de uma nova potência global, a China, tem provocado grande interesse para analistas e trabalhadores comuns em todo o mundo. Esse interesse é ainda mais intenso entre pessoas politizadas, que entendem a era de revoluções sociais que começou com a de Outubro de 1917 na Rússia, e que acarretou em uma série de importantes lutas e revoluções sociopolíticas em todo o mundo – entre elas, a Revolução Chinesa. O interesse em relação ao crescimento do poder da China é contraditório, uma vez que o aumento de seu poder está ocorrendo sob a bandeira vermelha e com o Partido Comunista da China no poder. Continue lendo “O papel internacional da China”

A China regrediu ao capitalismo? Reflexões sobre a transição do capitalismo para o socialismo

Por Domenico Losurdo, via medium.com, traduzido por Matheus Silva

Hoje em dia é comum falar sobre a restauração do capitalismo na China como resultado da Reforma e Abertura de Deng Xiaoping. Mas qual é a base desse julgamento? Existe algum tipo de socialismo que pode ser comparado com a realidade da atual situação socioeconômica na China hoje? Continue lendo “A China regrediu ao capitalismo? Reflexões sobre a transição do capitalismo para o socialismo”

A pobreza em Dostoiévski

Por Eduardo Henrique Nascimento Silva

Escrever um romance social em uma Rússia dominada pelo despotismo czarista, século XIX, não levou Dostoiévski ao título de pioneiro; mas escrever um romance social em que abordasse profundamente as lamentações e desgraças dos pobres Continue lendo…

Duas cenas da revolução russa nas memórias da jornalista Louise Bryant

Por Louise Bryant, traduzido por Gabriel Landi Fazzio.

Chegando à Rússia em agosto de 1917, a jornalista Louise Bryant pode assistir à revolução de outubro como uma das poucas observadoras estrangeiras com acesso aos quadros do partido bolchevique. Ainda que tenha escrito diversas reportagens, muitas reunidas na obra “Seis meses vermelhos na Rússia”, nunca foi traduzida para o português. Continue lendo…

Documentário: O ato de matar

Por Gabriel Landi Fazzio.

Em 1 de outubro de 1965, foi noticiado que um grupo de “soldados progressistas” havia sequestrado e assassinado brutalmente Achmad Yani, comandante do exército, e mais cinco generais. Foi divulgado que tal grupo seria simpático ao Partido Comunista Indonésio (PKI). Na verdade, o famigerado “Movimento 30 de Setembro” não passava de uma provocação orquestrada pelo anticomunista General Suharto, a fim de pressionar o presidente Sukarno a se afastar do PKI e autorizar o exército a “reestabelecer a ordem”. Continue lendo…

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑