Chasin entra em ação: crítica à “ontonegatividade da política”

Por Fernando Savella

Marx desafia Hegel: o Estado, ao invés de ser a expressão do Espírito e superação ideal das contradições da sociedade civil, é na verdade um instrumento da classe dominante que apenas simula o alcance de uma “universalidade” e racionalidade. Desde a “Introdução à Crítica” até o canônico “Caráter fetichista da mercadoria e seu segredo”, n’O Capital, esta foi a constante da obra de Marx e da tradição teórica e política que o seguiu: o Estado burguês, bem como toda superestrutura ideal que erige das relações de produção capitalistas, se caracteriza pela afirmação das relações abstratas no lugar das relações concretas.

Continue lendo “Chasin entra em ação: crítica à “ontonegatividade da política””

Anúncios

Por que ler Fanon hoje? Immanuel Wallerstein

Por Immanuel Wallerstein, traduzido por Douglas Rodrigues Barros

Frantz Fanon[3] nasceu na ilha da Martinica em 1925 e morreu de leucemia, muito cedo, em 1961. Em 1952, quando já era médico e psiquiatra, publicou seu primeiro livro, Peles negras, máscaras brancas. Continue lendo “Por que ler Fanon hoje? Immanuel Wallerstein”

Marx contra Keynes

Por John Eaton

Não foi revisto o texto da presente edição de Marx contra Keynes escrito em 1950. Por isso, acolho esta oportunidade para focalizar alguns pontos do original que exigem certo reexame, segundo creio agora. Em particular, há tendência para tratar toda a questão da teoria da crise de uma forma que lembra a teoria do subconsumo, Continue lendo “Marx contra Keynes”

A verdadeira e a falsa ontologia na fenomenologia de Berger e Luckmann

Por Germano Rama Molardi 

A obra resenhada, Modernismo, pluralismo e crise de sentido é produto do trabalho conjunto de um austríaco e de um esloveno que se conhecem a partir do momento em que se mudam para os Estados Unidos, onde vão ser colegas no curso de pós-graduação da New School for Social Research, onde também foram professores. A parceria engendra a escrita de um livro importante para a sociologia do conhecimento, como é o caso de A construção social da realidade.

Continue lendo “A verdadeira e a falsa ontologia na fenomenologia de Berger e Luckmann”

Confundindo pedagogia e política: Marx e Lenin sobre a educação revolucionária do proletariado

Por Gabriel Landi Fazzio

“Nihil humani a me alienum puto”. Em latim: “Nada humano me é alheio”. Segundo as filhas de Marx, a máxima favorita do pai. (MARX, 1956)

“20. Nossa tarefa mais importante antes do levante revolucionário declarado é a propaganda e a agitação revolucionária.” (III INTERNACIONAL COMUNISTA, 2008) Continue lendo “Confundindo pedagogia e política: Marx e Lenin sobre a educação revolucionária do proletariado”

“Há uma tendência a fetichizar o fetiche”: entrevista com Karl Reitter

Por Karl Reitter, via ViewPoint Magazine, traduzido por Ramon Frias

Essa entrevista com Karl Reitter, originalmente publicada na Junge Welt, apresenta aspectos de sua crítica da “nova leitura de Marx” alemã (Neue Marx-Lektüre), que está começando a ser traduzida mais amplamente ao Inglês. A entrevista marca a publicação em março da coleção em alemão, editada por Reitter, chamada “Karl Marx: Filósofo da Emancipação ou Teórico do Capital? Por uma Crítica da ‘Nova Leitura de Marx’” (Vienna: Mandelbaum, 2015). Continue lendo ““Há uma tendência a fetichizar o fetiche”: entrevista com Karl Reitter”

Ação política e a classe trabalhadora

Por Karl Marx, via Marxists.org, traduzido por Matheus Silva

Em setembro de 1871, em Londres, ocorreu a conferência da I Internacional na qual Marx pronunciou os seguintes discursos sobre a ação política e o proletariado – preservados graças às notas tomadas em francês por um participante do encontro. Nestes breves discursos, Marx opõe-se frontalmente ao abstencionismo político. Continue lendo “Ação política e a classe trabalhadora”

Karl Marx contra os impostos

Por Karl Marx, traduzido por Thiago Lstrcc e Gabriel Landi Fazzio

Do mesmo modo como defendia a abolição do Estado, considerando todo Estado uma forma de ditadura de classe; Karl Marx nunca foi um grande entusiasta das utopias tributárias. Embora muitos partidos de esquerda, ao longo do último século, tenham combatido os impostos indiretos e defendido a tributação progressiva dos rendimentos (revindicação formulada no “Manifesto Comunista”), algumas concepções do revolucionário alemão sobre o tema talvez surpreendam seus leitores reformistas… Continue lendo “Karl Marx contra os impostos”

Althusser e o jovem Marx

Por Pierre Macherey, via ViewPoint Magazine, traduzido por Aukai Leisner

“Sobre o Jovem Marx”, datado de novembro de 1960, apareceu pela primeira vez na edição de março/abril de La Pensée, sendo em seguida publicado em For Marx. O pano de fundo de sua redação foi o lançamento de uma edição especial da Recherches Internationales sobre o tópico do Jovem Marx, que reuniu estudos de acadêmicos marxistas sobre o tema, quase todos eles oriundos da Europa oriental.(1) Continue lendo “Althusser e o jovem Marx”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑