A concentração do proletariado nas grandes cidades

Por Gabriel Landi Fazzio

“[A revolução industrial] desenvolveu por toda a parte o proletariado na mesma medida em que desenvolveu a burguesia. Na proporção em que os burgueses se tornavam mais ricos, tornavam-se os proletários mais numerosos. Uma vez que os proletários somente por meio do capital podem ter emprego e o capital só se multiplica quando emprega trabalho, a multiplicação do proletariado avança precisamente ao mesmo passo que a multiplicação do capital. Ao mesmo tempo, concentra tanto os burgueses como os proletários em grandes cidades, nas quais se torna mais vantajoso explorar a indústria, e com esta concentração de grandes massas num mesmo lugar dá ao proletariado a consciência da sua força.” Engels, em “Princípios Básicos do Comunismo”. Continue lendo “A concentração do proletariado nas grandes cidades”

Anúncios

O lugar de fala de Djamila Ribeiro

Por Inês Maia

Esta é uma teoria de gestores da classe trabalhadora, aqueles que reivindicam um acento na política pública, ou um departamento de pesquisa na universidade. As trabalhadoras negras, aquelas que estão nas ruas pelas cinco da manhã e voltam às dez da noite, depois de um transito infernal, estão pouco se lixando para coisitas tais! Então, em primeiro lugar, é preciso estabelecer o lugar de fala dessa teoria, e ele é o lugar da classe-média! Continue lendo “O lugar de fala de Djamila Ribeiro”

Centralismo democrático: “Liberdade para Criticar e Unidade de Ação”

Por Vladimir Ilitch Lenin, via marxists.org, traduzido por Gabriel Landi Fazzio

O centralismo democrático é uma das mais importantes contribuições da práxis de Lenin à luta do proletariado revolucionário. Contudo, em meio aos mais de 45 volumes de textos que produziu ao longo da vida, utilizou o termo apenas um punhado de vezes. Continue lendo “Centralismo democrático: “Liberdade para Criticar e Unidade de Ação””

Por que as pessoas acham Jordan Peterson tão convincente? Porque a esquerda não tem sua própria casa em ordem

Por Slavoj Žižek, via The Independent, traduzido por Thiago Marques

O psicólogo clínico canadense e professor universitário se tornou imensamente popular por suas visões de ‘anti-PC’ (anti-politicamente correto) e é adorado por muitos no alt-right. Ele é sedutor por uma série de razões, a maioria delas ligada as pessoas de esquerda às quais ele se opõe. Continue lendo “Por que as pessoas acham Jordan Peterson tão convincente? Porque a esquerda não tem sua própria casa em ordem”

A próxima revolução política será pelo controle dos algoritmos

Por Cathy O’Neil, via Eldiario, traduzido por Bernardo Neves

Palavra de Deus. Por mandato real. É a economia, estúpido. A história oferece constantemente exemplos de como as pessoas recorrem ao mito da autoridade superior para revestir nossas decisões com uma suposta justiça objetiva. Para Cathy O’Neil, os algoritmos são o próximo mito dessa lista. Continue lendo “A próxima revolução política será pelo controle dos algoritmos”

A compreensão marxista sobre as raízes da opressão LGBTQ

Por Partido pelo Socialismo e pela Libertação, via Liberation School, traduzido por Igor Galvão e Julia Andrade

O capitalismo, com a preservação de normas machistas tanto em sua base econômica e quanto através da cultura, é um obstáculo para a verdadeira emancipação. Hoje, a luta pelo socialismo inclui construir um forte movimento democrático por direitos, que una a classe de trabalhadores e as pessoas oprimidas. É por isso que uma análise marxista da história da opressão LGBTQ e do desenvolvimento do movimento LGBTQ por igualdade é uma parte importante do mapa teórico para uma luta revolucionária. Continue lendo “A compreensão marxista sobre as raízes da opressão LGBTQ”

Notas Críticas à compreensão de Lênin sobre o Estado: revisitando “O Estado e a Revolução”

Por Paulo Henrique Furtado de Araujo

O artigo sustenta que a ausência da compreensão do capital enquanto forma específica de riqueza, de intermediação social, de dominação abstrata e forma autoestruturante da sociedade humana, limita a compreensão de Lênin sobre o Estado moderno e condiciona o tipo de solução emancipatória humana que ele teoriza e implementa.  Continue lendo “Notas Críticas à compreensão de Lênin sobre o Estado: revisitando “O Estado e a Revolução””

Tese do Partido Comunista da Grécia ao 20º Encontro Internacional de Partidos Comunistas e Operários

Por KKE, via Solidnet, traduzido por Gabriel Landi Fazzio

Nos dias 23 a 25 de novembro, em Atenas, Grécia, o Partido Comunista da Grécia (KKE) sediará o 20º Encontro Internacional de Partidos Comunistas e Operários. Em outra ocasião, já abordamos o papel de destaque deste partido para a rearticulação do movimento comunista internacional. Continue lendo “Tese do Partido Comunista da Grécia ao 20º Encontro Internacional de Partidos Comunistas e Operários”

Brasil, Bannon e Bolsonaro: alegoria antecipada em “O Ovo da Serpente.”

Por Pedro Felipe Narciso

O ano é 1923, a Alemanha está devastada pelo cenário do Pós-Guerra e pela rapinagem de Versalhes. A economia está um caos e a inflação explode, um pacote de cigarros chega a custar 4 bilhões de Marcos. O desemprego, a fome e o desespero são normalizados como o cotidiano de milhões de alemães. Continue lendo “Brasil, Bannon e Bolsonaro: alegoria antecipada em “O Ovo da Serpente.””

A luta de classes no Brasil: balanço da campanha de Guilherme Boulos

Por Jones Manoel

Este será o primeiro escrito de uma série sobre a luta de classes no Brasil, a crise da Nova República e a aceleração radical na criação de um novo padrão de dominação política, representada pela eleição do neofascista Jair Bolsonaro. Pretendo escrever quatro textos. Cada um pode ser lido separadamente, pois terão focos diferentes, mas os quatro vão se completar num quadro mais amplo e com pretensões totalizantes na análise da dinâmica política brasileira. Continue lendo “A luta de classes no Brasil: balanço da campanha de Guilherme Boulos”

Redes sociais e centralismo democrático: oportunidades e desafios

Por Ben Becker, via Liberation School, traduzido por Gabriel Landi Fazzio

Este artigo é a versão editada de um documento interno do PSL (EUA – Partido pelo Socialismo e pela Libertação), inicialmente escrito no final de 2015. O documento embasou amplas discussões sobre a questão em todo o partido no início de 2016, examinando as novas possibilidades e dificuldades colocadas pela proliferação das mídias sociais a partir da perspectiva de um partido leninista. Continue lendo “Redes sociais e centralismo democrático: oportunidades e desafios”

“Não sou obrigado”: impaciência e arrogância na esquerda

Por Gabriel Landi Fazzio

Para difundir nossas ideias amplamente, permitindo que sejam conhecidas e assimiladas pela maioria do povo, precisamos estabelecer uma autodisciplina voluntária, coletiva. Nesse sentido, existem dois obstáculos que a agitação política e a propaganda teórica “de esquerda” precisam superar com urgência, em especial nas redes sociais: a arrogância e a impaciência. Continue lendo ““Não sou obrigado”: impaciência e arrogância na esquerda”

Hegemonia 2.0

Por Lewis Bassett, via Verso Books, traduzido por Gabriel Landi Fazzio

Os eventos recentes provam conclusivamente que as mídias sociais não são comunidades globais neutras como muitas vezes são consideradas – como, por exemplo, no caso do recente expurgo de perfis no Facebook, censurando as vozes críticas à política externa dos EUA. Neste artigo, Lewis Bassett argumenta que estamos começando a testemunhar a emergência de um capitalismo monopolista tecnológico, apoiador do imperialismo dos EUA. Como, diante disso, podemos construir uma nova mídia de esquerda? Continue lendo “Hegemonia 2.0”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑