Meu 1989

Meu 1989

Por Li Minqi, traduzido por Leonardo Griz Carvalheira Prefácio do livro The Rising of China and the Demise of the Capitalist World Economy, NYU Press, 2008 [“A Ascensão da China e o declínio da Economia-Mundial Capitalista”]. Leia mais
O Desencanto da Linguagem Nativa: uma análise fanoniana a partir do contexto colonial brasileiro

O Desencanto da Linguagem Nativa: uma análise fanoniana a partir do contexto colonial brasileiro

Por Cristhian Cecchetti “Este breve ensaio visa expor as relações sociolinguísticas entre os povos ameríndios do território brasileiro colonial com seus “senhores” portugueses. E em conjunto analisaremos a disposição de supressão sociolinguística dos povos africanos ocidentais trazidos sob a condição de “escravos” do império. Deste modo pretende-se levantar, utilizando o…

Sobre

LavraPalavra é uma plataforma digital de comunicação que veicula reflexões, críticas, resenhas e notícias sobre diversos temas e assuntos do mundo contemporâneo.

Livraria

Livro O Pensamento de Lênin

O Pensamento de Lênin

Henri Lefebvre

LavraPalavra é uma plataforma digital de comunicação que veicula reflexões, críticas, resenhas e notícias sobre diversos temas e assuntos do mundo contemporâneo.

Filosofia e desejo de filosofia

Filosofia e desejo de filosofia

Por Alain Badiou, traduzido por Daniel Alves Teixeira, trata-se do Capítulo 2 do livro Metafísica da Felicidade Real, editora PUF, Paris, 2015. Como muitos leitores o sabem – Rancière e seus amigos deram uma vez esse título a bela revista que eles haviam fundado -, Rimbaud utiliza uma estranha expressão:…
Proibicionismo e capitalismo

Proibicionismo e capitalismo

Por Eitor Ramiro Sena de Macedo “Portanto, o debate proibicionista raramente está relacionado à saúde do usuário, mas sim à produtividade e a uma discussão, sobretudo, moral, buscando um controle dos corpos.  A proibição como forma de lidar com os problemas gerados na saúde se mostra ineficiente ano após ano,…
Pós-Modernidade: a luta por reconhecimento e distributividade

Pós-Modernidade: a luta por reconhecimento e distributividade

Por José Manuel de Sacadura Rocha “A pós-Modernidade tem revelado movimentos e presenças de desconstrução com alguma agressividade, de genuinidade indiscutível. Estes movimentos podem ser, grosso modo, repartidos em dois grandes grupos, conforme o “ponto de partida”: ou com foco político ou com foco iminentemente cultural. De certa forma, todos os movimentos…
Devemos repetir o óbvio? Sobre a “verdade” da esquerda

Devemos repetir o óbvio? Sobre a “verdade” da esquerda

Por Victor Hugo Amaro ” Nossas falhas são nossa história. Abraçar elas é o perfeito caminho para constatar o nosso óbvio (que sim, devemos repetir, mas repetir melhor): se permitem uma pequena referência a um grande texto de Freud, devemos corajosamente repetir, sagazmente recordar, para assim podemos triunfalmente elaborar nossa…

Vozes

Louis Althusser

Louis Althusser

Alain Badiou

Alain Badiou

Slavoj Žižek

Slavoj Žižek

Alenka Zupančič

Alenka Zupančič

Frantz Fanon

Frantz Fanon

Karl Marx

Karl Marx

O mestre e a histérica: verdade e interpretação na psicanálise

O mestre e a histérica: verdade e interpretação na psicanálise

Por Rômulo Caires “A custa da vida ou da morte, isso é secundário. A custa do gozo isso é primário” (Jacques Lacan) Leia mais
Sei que vocês são muitos - 13 teses sobre a política

Sei que vocês são muitos - 13 teses sobre a política

Por Alain Badiou, traduzido por Diogo Fagundes Estas teses compõem o sumário de uma das duas palestras, dirigidas ao grande número de jovens que se reuniram no Liceu Henri-IV e na École Nationale des Beaux-Arts de Paris para ouvi-lo falar em 2017. Alain Badiou afirma que ainda estamos firmemente enraizados…
Sobre os silêncios de Carlos Nelson Coutinho: uma defesa de Althusser

Sobre os silêncios de Carlos Nelson Coutinho: uma defesa de Althusser

Por João Pedro Luques, mestre em sociologia. Ao lado dos trabalhos de Ruy Fausto, Giannotti, entre outros, a crítica de Carlos Nelson Coutinho à Louis Althusser, publicada pela primeira vez em 1972 em sua obra O Estruturalismo e a Miséria da Razão é uma das principais críticas ao filósofo francês…

Siga o Lavrapalavra por email

Joseph Stálin: Quebrando Mitos

Joseph Stálin: Quebrando Mitos

Por Paulo Marçaioli A própria existência do Poder Soviético, o seu desenvolvimento, os seus progressos materiais, o seu indubitável fortalecimento constituem a propaganda mais eficiente entre os operários que tenha vindo ao país soviético e observado a nossa ordem de coisas proletária, terá podido ver o que representa o Poder…

Arquivo

Abordagem clínica do sujeito em Fanon

Abordagem clínica do sujeito em Fanon

Por Olivier Douville, via Revista Vie Sociale et traitements, traduzido por Alessandra Canapelle A pergunta que este artigo se propõe a ilustrar, em relação às ressonâncias atuais que a obra e a herança de Frantz Fanon adquirem, é a seguinte: “como a prática clínica pode ser iluminada pelos pacientes cuja…
Vida Cotidiana e a cultura da Coisa (Rumo à formulação da Questão)

Vida Cotidiana e a cultura da Coisa (Rumo à formulação da Questão)

Por Boris Arvatov[1], traduzido por Christina Kiaer (russo-inglês) [N.T.I.] e Maria del Carmen Delgado Rodríguez (inglês-português) [N.T.P.] “Se a fase final do capitalismo – com sua luta competitiva raivosamente se intensificando e constante pressa febril – é um estágio de alto dinamismo, então nós devemos ter em mente que nós…
Investigação sobre os bombardeios no rio Vermelho (Vietnã, verão de 1972) – método de análise e reflexões gerais

Investigação sobre os bombardeios no rio Vermelho (Vietnã, verão de 1972) – método de análise e reflexões gerais

Yves Lacoste, via Gallica, traduzido por Mario Matos Falar novamente sobre os bombardeios nos diques no Vietnã do Norte (especialmente os ocorridos no verão de 1972) agora que a guerra da Indochina terminou – finalmente -, pode parecer um exercício ocioso. Porém, não é inútil retornar a esse assunto, principalmente…
Marxismo e Biologia

Marxismo e Biologia

“Conhecemos apenas uma única ciência, a ciência da história. A história pode ser examinada sob dois aspectos: a história da natureza e a história dos homens. Os dois aspectos, contudo, não são separáveis; enquanto existirem homens, a história da natureza e a história dos homens se condicionarão reciprocamente.” Embora Marx…

Colabore

LavraPalavra conta com a participação de colaboradores na manutenção de seu conteúdo.

Para colaborar com alguma publicação ou caso tenha interesse em colaborar financeiramente, por favor, entrar em contato conosco.