A Realidade de Ernst Lubitsch

Por Slavoj Žižek, via The Philosophical Salon, traduzido por traduzido por Oleg Savitskii e Anna Savitskaia.

Theodor Adorno inverteu a condescendente pergunta historicista de Benedetto Croce sobre “o que está morto e o que está vivo na dialética de Hegel.” Se Hegel está realmente vivo enquanto pensador, a pergunta, portanto, a ser feita hoje é a oposta: “Como é que ficamos NÓS, HOJE, aos olhos de Hegel?” Exatamente o mesmo vale para Ernst Lubitsch.  Continue lendo “A Realidade de Ernst Lubitsch”

Anúncios

O Politicamente Correto chega ao Vaticano

Por Slavoj Žižek, via The Philosophical Salon, traduzido por Julio Davila

O papa Francisco normalmente tem intuições e ideias corretas sobre questões teológicas e políticas. Recentemente no entanto, ele cometeu a séria gafe de apoiar a ideia, propagada por alguns católicos, de mudar uma linha no Pai-Nosso.  Continue lendo “O Politicamente Correto chega ao Vaticano”

Um Grande Despertar e seus perigos

Por Slavoj Žižek, via The Philosophical Salon, traduzido por Oleg Savitskii e Anna Savitskaia.

Em 7 de novembro de 2017, Judith Butler ajudou a organizar uma conferência em São Paulo. Embora o nome da conferência tenha sido “Os Fins da Democracia” e, portanto, não tenha tido nada a ver com o tema de transgênero, uma multidão de manifestantes de direita se reuniu do lado de fora do local do evento, Continue lendo “Um Grande Despertar e seus perigos”

Lênin sabia que a revolução não aconteceria da noite para o dia – devemos ter isso em mente hoje em dia quando o capitalismo está nos deixando na mão.

Por Slavoj Žižek, via Independent, traduzido por traduzido por Oleg Savitskii e Anna Savitskaia.

Talvez, o maior feito de Lênin foi silenciosamente abrir mão da noção de revolução do marxismo ortodoxo como um passo necessário no progresso histórico. Em vez disso, ele seguiu a percepção de Louis Antoine Saint-Just de que o revolucionário é como um marinheiro que navega em territórios desconhecidos.       Continue lendo “Lênin sabia que a revolução não aconteceria da noite para o dia – devemos ter isso em mente hoje em dia quando o capitalismo está nos deixando na mão.”

O problema da revolução na Venezuela é que ela não foi longe o suficiente

Por Slavoj  Žižek, via Independent, traduzido por Rodrigo Gonsalves.

No início da década de 1970, em uma nota à CIA que os informava sobre como prejudicar o governo chileno democraticamente eleito de Salvador Allende, Henry Kissinger escreveu de maneira sucinta: “Faça a economia gritar”. Continue lendo “O problema da revolução na Venezuela é que ela não foi longe o suficiente”

Lenin navegando em territórios desconhecidos

Por Slavoj Zizek, via ThePhilosophicalSalon, traduzido por Cian S. Barbosa Whately

Na sua prática, Lenin estava então agindo efetivamente como o capitão de um barco num mar tempestuoso, encontrando seu caminho em um território desconhecido. Todavia, apesar de ter tentado desenvolver uma estrutura teórica para sua prática (a estrutura de uma complexa totalidade sobre-determinada Continue lendo “Lenin navegando em territórios desconhecidos”

O nome da audácia

Por Clarisse Gurgel, contribuição à crítica de Gabriel Landi

Slavoj Žižek, em Como Marx inventou o sintoma?, resgata as contribuições de Alfred Sonh-Rethell, em Trabalho Manual e Intelectual, mobilizando a noção de “abstração real”. Algo correspondente a uma dimensão das relações sociais em que atos são executados de modo desapercebido, no momento em que os homens estão distraídos, tomados “pela negociação e pela aparência empírica das coisas” Continue lendo…

Reciclagem, comidas orgânicas, andar de bicicleta… não é assim que nós salvaremos o planeta

Por Slavoj Žižek, via BlibiObs, traduzido por Daniel Alves Teixeira

Em dezembro de 2016, milhares de cidadãos chineses asfixiados pela poluição atmosférica tiveram que se refugiar no campo na esperança de nele encontrar uma atmosfera mais respirável. Continue lendo “Reciclagem, comidas orgânicas, andar de bicicleta… não é assim que nós salvaremos o planeta”

O fim

Por Alenka Zupančič, via Provocation Books, traduzido por Daniel Alves Teixeira

Uma maneira de abordar algumas das importantes questões importantes em jogo no livro de Frank Ruda “Abolishing Freedom” seria fazer a pergunta da relação entre repetição e fim. A repetição é uma noção filosófica vasta e complexa; é também um dos “quatro conceitos fundamentais da psicanálise”, Continue lendo “O fim”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑