Existe fascismo no Brasil? O bolsonarismo como terror e ideologia

Por Gabriel Landi Fazzio

Nas últimas décadas, o termo “fascista” foi utilizado de modo bastante impreciso, arremessado indiscriminadamente contra qualquer ideia conservadora ou autoritária. Agora, em um momento em que o termo poderia ser usado com muito mais segurança, muitas dúvidas e confusões se tornam evidentes. O que é, afinal, o fascismo? Existe fascismo no Brasil? Continue lendo “Existe fascismo no Brasil? O bolsonarismo como terror e ideologia”

Anúncios

O voto útil e a economia política dos afetos

Heribaldo Maia, graduando em História pela UFPE

Havia a sensação, já confirmada, de que a eleição presidencial de 2018 seria conturbada. A todo momento surgem novos fatos. A cada pesquisa explodem análises e projeções por todos os lados.  Continue lendo “O voto útil e a economia política dos afetos”

O teatro como sintoma: Uma análise sobre cinco encenações da peça Cenas do Baixo

Por Douglas Rodrigues Barros

“Cenas do Baixo”, sob direção de Roberto Alvim e Juliana Galdino, pertence a uma certa atmosfera teatral que foi perturbada pela desestruturação e escalada da crise do trabalho artístico independente, tendo tido sua origem no início da década de 1990.  Continue lendo “O teatro como sintoma: Uma análise sobre cinco encenações da peça Cenas do Baixo”

A dor para além da dor: o sofrimento como criador de vínculos políticos

Heribaldo Maia, Graduando em História UFPE

No Brasil a crise, não o progresso, se tornou ordem, e em nome dela se faz as maiores barbaridades. Com o golpe que alçou ao poder os setores mais antipopulares, um retrocesso na vida do povo que corrói as chances de vida de milhões ocorre de forma, agora, acelerada: é recorde de desemprego, milhões de pessoas sem moradia, perda de direitos históricos, desmonte do pouco que sobrou do patrimônio nacional, chantagem militar, apologia política do judiciário e extermínio de militantes.  Continue lendo “A dor para além da dor: o sofrimento como criador de vínculos políticos”

Um Grande Despertar e seus perigos

Por Slavoj Žižek, via The Philosophical Salon, traduzido por Oleg Savitskii e Anna Savitskaia.

Em 7 de novembro de 2017, Judith Butler ajudou a organizar uma conferência em São Paulo. Embora o nome da conferência tenha sido “Os Fins da Democracia” e, portanto, não tenha tido nada a ver com o tema de transgênero, uma multidão de manifestantes de direita se reuniu do lado de fora do local do evento, Continue lendo “Um Grande Despertar e seus perigos”

Avanços, contradições e limites dos governos petistas

Por Alfredo Saad Filho, via Revista Crítica Marxista

Este artigo interpreta a crise econômica e a crise política brasileira a partir de duas contradições: uma geral, entre os princípios inclusivos da transição democrática e os princípios excludentes da transição ao neoliberalismo, e outra mais concreta, entre as ambições petistas e o ‘tripé’ macroeconômico neoliberal imposto em 1999. Continue lendo…

2016, o ano que não terminou

Por Douglas Rodrigues Barros

Sócrates ao conversar com Êutifron às portas do edifício do arconte-rei nos deixou uma importante lição: a impossibilidade de medir uma ação a partir da conjuntura imediata. Quem conhece o belíssimo texto platônico sabe que, malandramente, Êutifron, depois de se deixar envolver pela maiêutica, se cansa e interrompe o diálogo com as singelas palavras: “agora estou com pressa e está na hora de me retirar Continue lendo…

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑