Hegemonia 2.0

Por Lewis Bassett, via Verso Books, traduzido por Gabriel Landi Fazzio

Os eventos recentes provam conclusivamente que as mídias sociais não são comunidades globais neutras como muitas vezes são consideradas – como, por exemplo, no caso do recente expurgo de perfis no Facebook, censurando as vozes críticas à política externa dos EUA. Neste artigo, Lewis Bassett argumenta que estamos começando a testemunhar a emergência de um capitalismo monopolista tecnológico, apoiador do imperialismo dos EUA. Como, diante disso, podemos construir uma nova mídia de esquerda? Continue lendo “Hegemonia 2.0”

Anúncios

Nós não, Eu.

Por Jodi Dean, via Verso Books, traduzido por Anna e Oleg Savitskaia

Desde a vitória de Trump sobre Hillary Clinton nas eleições presidências dos Estados Unidos, os comentários liberais têm se preocupado obsessivamente com o problema da política de identidade. Igual à língua que toca incessantemente no dente dolorido, essa preocupação localiza o problema, mas não o aborda. Continue lendo…

Segurança e Terror

Por Giorgio Agamben, via Libcom, traduzido por Daniel Alves Teixeira

Este é um artigo de autoria de Giorgio Agamben escrito em resposta aos ataques terroristas de 11 de setembro ocorridos em Nova York, publicado no Frankfurt Allgemeine Zeitung (Jornal Geral de Frankfurt) em 20 de Setembro de 2001. Continue lendo…

O dia da marmota

Por Sandino Nuñez, via La diaria, traduzido por Daniel Fabre

No presente artigo Sandino Nuñez debate a questão da democracia eleitoral buruguesa, baseada nos meios de comunicação, e sua lógica característica vinculada à forma dinheiro. Para Sandino, Donald Trump, candidato a presidente Continue lendo…

A retomada da luta sindical nos EUA

James Woods, via U.S. Uncut, traduzido e comentado por Gabriel Landi Fazzio.

O Partido Democrata, na sexta-feira (28/08/15) adotou o apelo pelo aumento do salário mínimo para $15/hora, estabelecendo a reivindicação como parte de sua plataforma partidária, no aproximar da temporada eleitoral de 2016. O movimento adiante polariza as alas progressistas do partido movendo-as à esquerda tanto do Partido Republicado quanto de democratas centristas ligados às corporações, como Hillary Clinton.

Continue lendo…

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑