Por que não defendemos as Diretas Já?

Por Gabriel Landi Fazzio, via PCB

O PCB está entre o reduzido número de organizações socialistas a não erguer a palavra de ordem por eleições gerais antecipadas – e, dentre estas, na ainda mais reduzida posição de quem não trata tal palavra de ordem com sectarismo, quase como que se fosse reacionária. Continue lendo…

Anúncios

No olho do furacão: a juventude brasileira diante da crise

Por Alexandre Pimenta

A crise brasileira tem concretizado uma verdadeira ofensiva das classes dominantes, em todas as frentes, para ampliação e aprofundamento da exploração e controle das massas trabalhadoras. Ora, uma “saída” da crise passa, necessariamente, pela retomada das condições de acumulação do capital, que exigem a reprodução das relações de produção capitalista em outro patamar e sob outras coordenadas político-ideológicas, ainda em germinação.

Continue lendo “No olho do furacão: a juventude brasileira diante da crise”

França: polarização em meio ao colapso dos partidos tradicionais

Por Josh Holroyd, via In Defence of Marxism, traduzido por Gabriel Landi Fazzio

Com menos de um mês antes do primeiro turno das eleições presidenciais na França, ainda não há nenhum candidato que possa ter a vitória assegurada, com quase metade dos eleitores franceses ainda indecisos. Indiscutivelmente a característica mais significativa do processo eleitoral, até agora, tem sido o colapso quase completo dos partidos tradicionais. Continue lendo…

2016, o ano que não terminou

Por Douglas Rodrigues Barros

Sócrates ao conversar com Êutifron às portas do edifício do arconte-rei nos deixou uma importante lição: a impossibilidade de medir uma ação a partir da conjuntura imediata. Quem conhece o belíssimo texto platônico sabe que, malandramente, Êutifron, depois de se deixar envolver pela maiêutica, se cansa e interrompe o diálogo com as singelas palavras: “agora estou com pressa e está na hora de me retirar Continue lendo…

Nós não, Eu.

Por Jodi Dean, via Verso Books, traduzido por Anna e Oleg Savitskaia

Desde a vitória de Trump sobre Hillary Clinton nas eleições presidências dos Estados Unidos, os comentários liberais têm se preocupado obsessivamente com o problema da política de identidade. Igual à língua que toca incessantemente no dente dolorido, essa preocupação localiza o problema, mas não o aborda. Continue lendo…

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑