Pan-africanismo, historicidade e disputa de narrativas

Por Vinicius Souza, publicado na revista Clio Operária

Uma tendência normal é enxergar as pessoas negras como se todas fossem à mesma coisa, como se a experiência individual de vida não contasse para a formação da concepção de mundo, de si mesmo e, portanto, da racialização. Continue lendo “Pan-africanismo, historicidade e disputa de narrativas”

Anúncios

Movimento Negro Unificado e Movimento Negro Empoderado

Por Eduardo Bonzatto e Luis Gustavo Reis

“Eu, por mim, me unirei com qualquer um, não me importa de qual cor seja, uma vez que queira mudar essa situação miserável que existe neste planeta.” (Malcom X)

Continue lendo “Movimento Negro Unificado e Movimento Negro Empoderado”

Do lugar identitário ao punitivismo: um caminho natural

Por Inês Maia

A crença cega na impossibilidade da transformação efetiva; o apego às limitações ao poder instituído; a busca por um lugar ao sol – quando o sol deveria ser para todos; o fetichismo de uma representatividade fechada nos moldes da vida do espetáculo e do consumo; a fé na racialização social e não na tentativa de implodir o seu significado; a ação prevista conforme os marcos colonialistas; o total afastamento do pertencimento à classe trabalhadora, e; para lacrar – a judicialização das ideias, agora avaliadas pelos senhores promotores; foram os resultados de uma teoria que, sustentando o lugar formatado pela realidade assassina e exploratória da modernidade capitalista, esvaziou do horizonte de muitos jovens uma transformação efetiva que tenha como horizonte a experiência da igualdade social radical. Continue lendo “Do lugar identitário ao punitivismo: um caminho natural”

Como a ‘guerra às gangues’ alimenta o encarceramento em massa

Por Terrence Myers, via Liberation School, traduzido por Bruno Sanata

Quando o rapper indicado ao Grammy Nipsey Hussle foi morto em março, Kerry Lathan, que estava coincidentemente na loja de roupas de Hussle no sul de Los Angeles para comprar uma camiseta, também foi baleado. Dias depois, gravemente ferido, Lathan foi preso. Lathan, que estava em liberdade condicional, foi acusado de violar a condicional por socializar com um conhecido membro de gangue – Nipsey Hussle. Continue lendo “Como a ‘guerra às gangues’ alimenta o encarceramento em massa”

A hegemonia da raça: de Gramsci a Lacan

Por Richard Seymour e Daniel Hartley, via Revue Periode, traduzido por Ícaro Batista

Mesmo em suas interpretações as mais sofisticadas, o marxismo tem uma tendência de ler o racismo de forma instrumental. Tal ideologia é adotada por uma série de atores porque é consistente com certos interesses, porque consolida alguma forma de hegemonia, porque tem privilégios de brancos. Para o jornalista e pesquisador independente Richard Seymour, essas explicações são insuficientes. Continue lendo “A hegemonia da raça: de Gramsci a Lacan”

O Negro na cidade brasileira

Por Bruno Santana

Da conjuração entre o projeto colonial das classes dominantes brasileiras e a despossessão dos negros escravizados de suas formas de viver aqui no Brasil atirados às senzalas nasce a territorialização das cidades brasileiras. Para além das capitanias hereditárias num escopo maior, no interior das cidades coloniais, se deflagra de modo aparente o aspecto mais visível da sociedade brasileira do período; onde o espaço do negro escravizado, dos libertos, dos agentes do estado colonial e das classes dominantes brasileiras era estritamente definido. Continue lendo “O Negro na cidade brasileira”

Intercomunalismo: as últimas teorizações de Huey P. Newton, “Teórico Chefe” do Partido dos Panteras Negras

Por Delio Vasquez, via ViewPoint, traduzido por Elisa Brasil e Gabriel Slenes

Líder dos Panteras Negras Huey Newton realiza uma coletiva de imprensa em São Francisco depois de voltar de uma reunião com o primeiro-ministro Chinês Chou En-Lai na China. Newton enfrentava seu terceiro julgamento sob a acusação de ter matado um policial. 8 de Outubro de 1971.   Continue lendo “Intercomunalismo: as últimas teorizações de Huey P. Newton, “Teórico Chefe” do Partido dos Panteras Negras”

O lugar de fala de Djamila Ribeiro

Por Inês Maia

Esta é uma teoria de gestores da classe trabalhadora, aqueles que reivindicam um acento na política pública, ou um departamento de pesquisa na universidade. As trabalhadoras negras, aquelas que estão nas ruas pelas cinco da manhã e voltam às dez da noite, depois de um transito infernal, estão pouco se lixando para coisitas tais! Então, em primeiro lugar, é preciso estabelecer o lugar de fala dessa teoria, e ele é o lugar da classe-média! Continue lendo “O lugar de fala de Djamila Ribeiro”

Nós não, Eu.

Por Jodi Dean, via Verso Books, traduzido por Anna e Oleg Savitskaia

Desde a vitória de Trump sobre Hillary Clinton nas eleições presidências dos Estados Unidos, os comentários liberais têm se preocupado obsessivamente com o problema da política de identidade. Igual à língua que toca incessantemente no dente dolorido, essa preocupação localiza o problema, mas não o aborda. Continue lendo…

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑