O ponto de vista comunista sobre o voto nulo

Por Gabriel Landi Fazzio

A cada dois anos, quando se encerram as apurações eleitorais, surgem uma série de debates entorno do grande número de pessoas que não dão seus votos a nenhum candidato. Em 2014, 27% dos eleitores aptos se abstiveram, anularam ou votaram “branco” – o maior índice desde 1998, quando a soma ficou na casa dos 36%. Nas eleições municipais de 2016 novamente debateu-as o aumento das abstenções (21,84% em São Paulo) e os nulos e brancos (16,64%). Continue lendo…

Anúncios

A república das bananas

Por Douglas Rodrigues Barros

A deposição de Dilma Rousseff trouxe atona diversas questões sobre a política nacional. De certa forma, estamos de volta à republica das bananas, tomada por interesses escusos das velhas elites familiares. No presente artigo o autor aborda como a farsa jurídico-parlamentar de 2016 Continue lendo…

O dia da marmota

Por Sandino Nuñez, via La diaria, traduzido por Daniel Fabre

No presente artigo Sandino Nuñez debate a questão da democracia eleitoral buruguesa, baseada nos meios de comunicação, e sua lógica característica vinculada à forma dinheiro. Para Sandino, Donald Trump, candidato a presidente Continue lendo…

Democracia e suas vicissitudes

Por Daniel Alves Teixeira, membro do Círculo de Estudos da Ideia e da Ideologia

Desde a modernidade tem-se a impressão de que a democracia e o capitalismo andam juntos, como se fossem dois fenômenos concomitantes e necessários um ao outro. Existe verdade nesta afirmação, mas, se assim o é, também podemos afirmar Continue lendo…

Gramsci sobre a legalidade

Por Antonio Gramsci, em Socialismo e Fascimo. L’Ordine Nuovo 1921-1922, via Capitalismo em desencanto. Imagem via AsymptoticWay.

Sem qualquer ilusão na democracia formal, que alguns de seus intérpretes parecem ter, Gramsci critica duramente a esquerda que se permite enganar com as garantias legais do estado burguês. O texto que segue, publicado originalmente sob o título “Legalidade”, é de extrema atualidade para o estudo da teoria marxista do direito e do Estado.

Continue lendo…

Classe, Raça e Ideologia

Por Kwame Nkrumah, traduzido por Daniel Fabre.

Kwane Nkrumah foi o grande líder da independência de Ghana e um dos mais influentes pensadores do chamado ‘socialismo africano’. Influenciado pelas ideias de Marcus Garvey, do marxista C.L.R. James, do exilado russo Raya Dunayevskaya e do sino-americano Grace Lee Boggs, Nkrumah desenvolveu sua obra em constante relação com os desenvolvimentos da luta independentista na África.

Continue lendo…

Revolução e contrarrevolução em Burkina Faso

Por Gabriel Landi Fazzio

Quase um ano após a revolução que encerrou os 27 anos da ditadura de Blaise Compaoré, o Burkina Faso se aproxima das eleições gerais em outubro. Diz-se que a história só surpreende quem de história nada entende. Os companheiros da Tendência Marxista Internacional já apontavam, em 11 de Setembro de 2015, a crise do regime de transição e o risco de um golpe. Apenas 6 dias depois, as mídias de todo o mundo noticiavam o golpe militar. Em menos de uma semana, no entanto, o governo de transição voltou ao poder, após uma onda de mobilizações em todo o país.

Continue lendo…

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑