Nem só de realismo vive o desejo, Frédéric Lordon versus Mark Fisher.

Alex Martins Moraes[1]

Frédéric Lordon propõe uma teoria das atuais condições subjetivas de (im)possibilidade para a mobilização produtiva das pessoas no marco das estratégias de valorização e acumulação do capital. Continue lendo “Nem só de realismo vive o desejo, Frédéric Lordon versus Mark Fisher.”

Mark Fisher foi o líder intelectual de uma geração

Por Jason Cowley, via newstatesman.com, traduzido por Rodrigo Gonsalves

Uma conseqüência (do Realismo Capitalista) são os sentimentos de impotência das pessoas. Outra é a incapacidade de conceber um futuro diferente do presente. “O sentimento de que não podemos expressar formas alternativas de ser e de pensar – para mim, é a principal coisa que o Realismo Capitalista faz bem ao personalizar os efeitos do neoliberalismo”. Continue lendo “Mark Fisher foi o líder intelectual de uma geração”

Comunismo ácido

Por Matt Colquhoun, via Krisis, traduzido por Renan Porto

Como muitos de seus neologismos, o ‘Comunismo Ácido’ de Mark Fisher guarda uma crise de desambiguação, lançando uma provocação no nosso meio. A frase – que seria o título do seu próximo livro, agora não finalizado depois da sua morte em janeiro de 2017 – tem ganhado uma atenção considerável como muitos imaginam que tipo de variação do manifesto de Marx seria ocasionada pela sua nova qualificação corrosiva. Continue lendo “Comunismo ácido”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑