Categoria: Cultura

Sobre como meditar

Poema por Jack Kerouac. Traduzido por Otávio Moraes. Jack Kerouac é umas das principais referencias da geração beat. Seus versos e sua prosa conjugam o jazz e o zen rompendo a noção de fragmento ou divisória. O mundo de Kerouac é de incessante movimento, abismal alegria e paulatina tragicidade. O autor de On the road

Leia mais »

Damas e Vagabundos: reflexões sobre a arquitetura defensiva

Por Julio d’Avila A arquitetura é uma das melhores formas de se observar as contradições de uma sociedade. Operando em um regime que conjuga a teoria e a materialidade de forma imediata, ela nos permite perceber a “distância entre intenção e gesto”, isto é, entre aquilo que se projeta e o que se faz, de

Leia mais »

O marxismo e o feminismo radical

Por Holly Lewis, traduzido por Nícolas Duarte e Diana Capella Esse texto é uma seleção de trechos do livro The Politics of Everybody: Feminism, Queer Theory and Marxism at the Intersection (em tradução livre, “A Política do Todo: Feminismo, Teoria Queer e Marxismo na Intersecção”), de Holly Lewis sobre o feminismo radical/de segunda onda. Neste

Leia mais »

Para que serve a arte política em tempos como estes?

Por Ben Davis, traduzido por Bruno Trochmann, de um capítulo do livro “9.5 Theses on Art and Class” Uma coisa é discutir sobre a relação entre arte e política quando os movimentos sociais estão em baixa, quando a luta política é episódica ou principalmente defensiva – como tem sido nas últimas três décadas ou mais.

Leia mais »

Mãe, o futuro é real?

Por Veridiana Zurita A pergunta grita dois afetos cruciais pro tipo de ideologia que nos gerencia. Medo e esperança. Dois afetos que catapultam pro futuro nossa paralisia em lidar com o presente. Ter medo ou esperança nos coloca na espera de um futuro que nunca chega e ainda assim é capaz de paralisar o presente.

Leia mais »

Fantasmas do Império: “O cinema colonial é património comum”

Por Mariana Carneiro. Originalmente em Esquerda.net Ariel de Bigault coloca perante nós um século de imagens do colonialismo português. Somos confrontados com a ficção da propaganda, difundida pelos cineastas do regime, e a realidade da ocupação, da dominação e da guerra colonial. E os seus tabus.

Leia mais »

O inimigo sempre foi Outro

Por Thales Fonseca A motivação de fundo deste ensaio surgiu com o anúncio de publicação do novo livro de Paulo Arantes, que versará sobre uma dita “ideologia francesa”. Logo da notícia, meu primeiro ímpeto foi de procurar os rastros da ansiada obra, antes mesmo de sua publicação. Encontrei algum[1]. Em todo caso, longe de mim

Leia mais »