Um cheiro de perfume podre: paranoia, negação e militares

Por André Márcio

“O Brasil pandêmico tem um cheiro de perfume podre e todos nós sabemos de onde ele vem. Na verdade, esse cheiro está hoje disseminado por toda a nossa sociedade. Ele vem das valas comuns abertas para jogar os corpos produzidos pela ignorância do governo Bolsonaro. O mesmo cheiro vem dos corpos putrefatos nos hospitais e frigoríficos à espera dessas valas, pois sequer o reboque para levá-los dá conta da quantidade. O perfume podre vem dos corredores lotados de doentes miseráveis, moribundos, à espera que alguém saia da UTI, vivo ou morto.”

Continue lendo “Um cheiro de perfume podre: paranoia, negação e militares”

Por que o chamado por uma renda básica incondicional é enganoso

Por Kommunistsche Organisation (KO); via Pelo Antimperialismo, traduzido por Vinícius Okada M. M. D’Amico

Representantes do capital e sua esquerda argumentam que deve haver uma distinção entre emprego remunerado e segurança dos meios de subsistência. Devido à perda de empregos, não seria mais possível satisfazer as necessidades das pessoas através de empregos remunerados. A seguridade social deveria ser garantida através de uma renda básica incondicional vinda do dinheiro dos contribuintes e não mais a partir de salários. Mas o interesse básico dos trabalhadores é o de reduzir as horas de trabalho necessárias para todos e aumentar as horas de lazer para todos. Isso só pode ser conseguido através da luta coletiva contra o capital e seu estado.  Continue lendo “Por que o chamado por uma renda básica incondicional é enganoso”

Consumo de álcool, de outras drogas e o COVID-19

Por Raonna Martins

Em termos de conjuntura política não avançamos muito, atualmente: a coisa está muito, muito! pior. As escolhas são escassas: propõe-se abstinência ou violência para as pessoas que fazem uso de drogas e que vivem em territórios vulnerabilizados. Quero dizer também que existem estudos rigorosos sobre esse tema que sequer são levados em consideração, por isso digo da falta de avanço sobre essa temática. Não há falta de estudos sérios. Há surdez em nossa estruturação política. Continue lendo “Consumo de álcool, de outras drogas e o COVID-19”

2020 é o Ano em que Matamos os Mais Fracos

Por Sandino Patriota

No ponto em que nos encontramos, com o carniceiro que ocupa a cadeira de presidente e os generais que estão ao seu lado decididos a promover as mortes e aparecer como os melhores defensores dos lucros dos banqueiros e monopólios, tornou-se impossível evitar o crescimento exponencial da letalidade. Isso só seria possível com a ação firme de um Estado nacional, decidido a apoiar e defender sua população, coisa que não estamos perto de ter no Brasil. É preciso tomar consciência desse fato no momento em que se discutem as ações de bloqueio total (lockdown), em algumas regiões, e de relaxamento parcial da quarentena, em outras. Continue lendo “2020 é o Ano em que Matamos os Mais Fracos”

Alain Badiou e a Verdade na Política Revolucionária

Por Alain Badiou, traduzido por Vinícius Okada M. M. D’Amico a partir da versão em inglês do livro (excertos de seu prefácio) Logic of Worlds, Editora Continuum, 2009.

“A agonia da França não nasceu das enfraquecedoras razões para acreditar nela — derrota, demografia, indústria, etc. — mas da incapacidade de acreditar em coisa alguma”.- André Malraux Continue lendo “Alain Badiou e a Verdade na Política Revolucionária”

Ideologia e hegemonia burguesa no Brasil: O empreendedorismo como mistificação das massas

Por Otávio Augusto Cunha

O objetivo do artigo é demonstrar as contradições em torno do conceito de empreendedorismo utilizado atualmente por diveras entidades empresariais como a solução dos problemas sociais mais urgentes. Ao apontar o empreendedorismo como uma ideologia (que cumpre uma função prática de ocultar a luta de classes e as contradições estruturais da sociedade capitalista), temos como objetivo apontar a atualidade da crítica de Gramsci no que diz respeito à dominação moral e intelectual exercida pela classe dominante sobre o conjunto da sociedade configurando-se no que o autor chamou de hegemonia. Continue lendo “Ideologia e hegemonia burguesa no Brasil: O empreendedorismo como mistificação das massas”

Autofagia social, coronavírus e política da Terra

Por Danilo Augusto de Oliveira Costa

“O futuro, o clímax do capitalismo no qual sua configuração atual se encontra mais próxima do seu conceito – dinheiro que gera dinheiro – é o momento em que não só grande parte da população se torna supérflua e sacrificável para a manutenção, em última instância, da sobrevida do sistema econômico. Continue lendo “Autofagia social, coronavírus e política da Terra”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑