Terror e miséria na poesia modernista: Mário e Drummond entre escombros

Por Camila Chang Feitosa e Gabriel Lazzari

Quando pensamos em modernismo no Brasil, não há como desvinculá-lo de nomes como Mário de Andrade e Carlos Drummond de Andrade. Ainda que tratemos a Semana de Arte Moderna de 22 como grande marco do movimento Continue lendo…

Anúncios

Cinema como um emblema democrático

Por Alain Badiou, via Parrhesia, traduzido por Gabriel Tupinambá

A Filosofia só existe na medida em que existem relações paradoxais, relações que falham em se conectar, ou que não deviam fazê-lo. Quando toda conexão é naturalmente legítima, a Filosofia é impossível ou vã. Filosofia é a violência imposta pelo pensamento às relações impossíveis. Continue lendo…

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑