Contra a globalização perversa: uma outra globalização expressa pela classe popular

Por Maiara de Proença Bernardino

“Seguindo o pensamento do professor Milton Santos, embasado por teorias de Ortega y Gasset, o mundo atual da globalização, também permitiu uma mistura de diferentes povos em determinados pontos do espaço. Fazendo-nos pensar não somente nas perversidades causadas pelas variáveis da globalização, mas, também, nas possibilidades a partir da apropriação da técnica, da ciência e da informação por grupos antes considerados subalternos.”

Continue lendo “Contra a globalização perversa: uma outra globalização expressa pela classe popular”

“Classe” artística e Covid-19: falando sobre o básico

Por Ali do Espirito Santo

Venho acompanhando algumas zonas de reclamação surgirem no meio artístico ligado às artes visuais, cênicas e afins. Essas zonas, criadas no facebook através de postagens individuais ou correntes desesperadas para o aumento de seguidores no instagram e divulgação a esmo de trabalhos pessoais, refere-se a chegada de uma suposta crise econômica, a qual resultará em uma série de efeitos colaterais, entre eles o cancelamento de trabalhos devido ao Covid-19 e um certo espanto para um possível fim do horizonte fragmentado da teologia neoliberal e suas consequências para a “classe” artística. Estar preocupado com isso é obviamente legítimo, e sim, o momento é para movimentar-se, mesmo que sem sair do lugar, já que o ciberespaço é o que restou para tal. Continue lendo ““Classe” artística e Covid-19: falando sobre o básico”

Um protesto contra o liberalismo de esquerda

Por Eduardo Borges*

Com a saída de Moro, a classe trabalhadora anti-sistema se auto-percebe como órfã de um partido político, abrindo assim um novo horizonte histórico, a revolução brasileira. A essência se apresenta na aparência, não havendo mais, a possibilidade concreta da alienação política da práxis futura. Assim não há mais alternativa para a classe trabalhadora a não ser fazer com as suas próprias mãos. Continue lendo “Um protesto contra o liberalismo de esquerda”

Confundindo pedagogia e política: Marx e Lenin sobre a educação revolucionária do proletariado

Por Gabriel Landi Fazzio

“Nihil humani a me alienum puto”. Em latim: “Nada humano me é alheio”. Segundo as filhas de Marx, a máxima favorita do pai. (MARX, 1956)

“20. Nossa tarefa mais importante antes do levante revolucionário declarado é a propaganda e a agitação revolucionária.” (III INTERNACIONAL COMUNISTA, 2008) Continue lendo “Confundindo pedagogia e política: Marx e Lenin sobre a educação revolucionária do proletariado”

Sobre a confusão entre política e pedagogia

Por Vladimir Ilitch Lenin, via marxists.org, traduzido por Gabriel Lazzari e Gabriel Landi Fazzio

O seguinte texto foi escrito em Junho de 1905 e primeiramente publicado, de acordo com o manuscrito, em 1926, em Lenin Miscellany V. A fonte utilizada para a tradução para o português foi publicada na Lenin Collected Works (Foreign Languages Publishing House, 1962, Moscou, Volume 8, p. 452-455), traduzida para o inglês por Bernard Isaacs e Isidor Lasker, transcrito para o Lenin Internet Archive (2003) por R. Cymbala. Continue lendo “Sobre a confusão entre política e pedagogia”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑