Etiqueta: Crítica

Trilogia do Inumano – Inside: Distopia como destino

Por Gabriel Bichir “Não há como salvar a arte após a extinção do sujeito, muito menos ao estufá-lo, e o único objeto que hoje seria digno dele, o puro desumano, escapa à arte tanto pela desmedida quanto pela desumanidade.” (Adorno)

Leia mais »

Fanon via Lacan: Aportes teóricos para uma leitura contemporânea

Por Cian S. Barbosa Whately Este artigo tem como propósito abordar a atualidade da teoria fanoniana, investigando a abordagem exposta em seu livro “Pele negra, máscaras brancas”, enquanto uma crítica ao essencialismo identitário e, não menos importante, enquanto uma contribuição à crítica da ideologia em geral. Essa contribuição, como pretende-se demonstrar, será evidenciada também quando

Leia mais »
Milton Santos

Geografia: espaço e o contexto atual?

Por Karolina Cardozo Acredito que para levantar uma análise crítica acerca da conjuntura atual do espaço e no tempo em que habitamos hoje, na hora em que o relógio bate em uma pandemia, é imperioso que voltemos no passado de forma a não repeti-lo mas aprender com ele, de maneira que possamos entender as manifestações

Leia mais »

Teses para um Prometeísmo Vermelho

Por Isidoro Duquebra “Como fazer as massas amarem a Emancipação? Em tempos de refluxo da política avançada, milhares e milhares se voltam para o misticismo, a fé arrebatada, ou para o fundamentalismo extremo, ultrassangrento (como o Estado Islâmico, ou os neofascismos tupiniquins, de espancar travesti ou clamar pelos militares-torturadores de ontem-hoje). Todos querem uma dose

Leia mais »

A crise italiana (1924)

Por Antonio Gramsci, via L’Ordine Nuovo, traduzido por Mario Matos A crise radical do regime capitalista, iniciada na Itália como no mundo todo com a guerra, não foi solucionada pelo fascismo. O fascismo, com seu método repressivo de governar, tornou muito difícil, e mesmo quase totalmente impediu, que se manifestassem na política os efeitos da

Leia mais »

O Fascismo Alemão e Hegel

Por Georg Lukács, originalmente em Schicksalswende, [Pontos de virada do destino] Aufbau Verlag, Berlin, 1956, traduzido por Marie Farines Esse texto é tradução do ensaio de Georg Lukács: Der deutsche Faschismus und Hegel (1943). Ele ocupa as páginas 29 à 49 da coletânea: Georg Lukács, Schicksalswende, [Pontos de virada do destino] Aufbau Verlag, Berlin, 1956.

Leia mais »

A política econômica do fascismo

Por Agustín Cueva, via Centro de Pensamento Crítico, traduzido por Fernando Savella Artigo apresentado no seminário sobre “O controle político no Cone Sul da América Latina”. México, dezembro de 1976. Primeira edição com o título de “Fascismo e economia na América Latina” na revista Controversia. Guadalajara, Ano I, nº 2, fevereiro-abril de 1977.

Leia mais »