Por que ler Fanon hoje? Immanuel Wallerstein

Por Immanuel Wallerstein, traduzido por Douglas Rodrigues Barros

Frantz Fanon[3] nasceu na ilha da Martinica em 1925 e morreu de leucemia, muito cedo, em 1961. Em 1952, quando já era médico e psiquiatra, publicou seu primeiro livro, Peles negras, máscaras brancas. Continue lendo “Por que ler Fanon hoje? Immanuel Wallerstein”

Um monstro chamado Judith Butler

Por Inês Maia

Que faz, na superfície, a militância hegemônica atual? Desde a redemocratização – e antes apesar dela do que a partir do seu precedente – toda a militância aceita tem feito um atentado contra o velho conceito de política.[1]  Continue lendo “Um monstro chamado Judith Butler”

A inconsciência branca

Por Richard Seymour, via Lenin’s Tomb, trecho traduzido por Gabriel Landi Fazzio.

Ei branquelo

A maioria dos leitores desse blog está na América do Norte, Europa ou Austrália. Eu imaginaria que a maioria deles é branca. Então me permita perguntar a vocês, leitores brancos, uma coisa. O que faz de vocês brancos? A pele “descolorida” que você veste? Esses olhos cinza que você chama de “azuis”? Dificilmente.

Continue lendo…

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑