O Fetichismo da “Hegemonia”

Por Agustin Cueva, traduzido por Fernando Savella

Antonio Gramsci se converteu, sem dúvida alguma, numa referência obrigatória para todos os estudos que são feitos atualmente acerca da questão do Estado, tanto na Europa ocidental como na América Latina. De um certo ponto de vista, o autor italiano aparece inclusive como o verdadeiro fundador da ciência política marxista, finalmente livre, como dizem, do “dogmatismo” e do “economicismo” e, portanto, da concepção “instrumental” do Estado que havia caracterizado o pensamento leninista. Dessa forma, Gramsci se tornou uma espécie de ‘anti-Lenin’, dotado de incalculáveis projeções teóricas e políticas.

Continue lendo “O Fetichismo da “Hegemonia””

Anúncios

“Há uma tendência a fetichizar o fetiche”: entrevista com Karl Reitter

Por Karl Reitter, via ViewPoint Magazine, traduzido por Ramon Frias

Essa entrevista com Karl Reitter, originalmente publicada na Junge Welt, apresenta aspectos de sua crítica da “nova leitura de Marx” alemã (Neue Marx-Lektüre), que está começando a ser traduzida mais amplamente ao Inglês. A entrevista marca a publicação em março da coleção em alemão, editada por Reitter, chamada “Karl Marx: Filósofo da Emancipação ou Teórico do Capital? Por uma Crítica da ‘Nova Leitura de Marx’” (Vienna: Mandelbaum, 2015). Continue lendo ““Há uma tendência a fetichizar o fetiche”: entrevista com Karl Reitter”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑