As colunas da ordem e da desordem: brevíssimo ensaio sobre a insatisfação na lírica

Por Otávio Moraes

O crítico literário Helder Macedo assevera em um de seus ensaios que “(…) toda linguagem é feita de passados e não de futuros”[1]. Tal assertiva carrega implicações interessantes, principalmente para discutir a linguagem estetizada em forma de lírica. Continue lendo “As colunas da ordem e da desordem: brevíssimo ensaio sobre a insatisfação na lírica”

Anúncios

Ensaio sobre o delírio – notas acerca da lírica esquizofrênica de Manoel de Barros

Por Julio d’Avila, graduando Ciências Sociais USP

O mato-grossense Manoel de Barros é autor de uma extensa obra poética, dispersa em diversos breves livros[i]. Ele sustenta que poesia deve ser publicada de modo esparso, é contrário a livros grandes. Continue lendo “Ensaio sobre o delírio – notas acerca da lírica esquizofrênica de Manoel de Barros”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑