Atas da Conferência Bolchevique de abril de 1917

Por Vladímir Ilitch Lênin, via marxists.org, traduzido por Carmen Delgado

A Conferência da Cidade de Petrogrado do POSDR (B.) foi convocada por decisão do Comitê de São Petersburgo de 6 de abril (19) e foi realizada de 14 a 22 de abril (27 de abril a 5 de maio de 1917). Participaram 57 delegados, incluindo delegados das organizações finlandesas, estonianas, letãs, polonesas e lituanas, representantes da Organização Militar e também dois mezhraiontsi (ver Nota 556). Na ordem do dia estavam as seguintes questões: tarefas atuais – situação atual; atitude em relação ao Soviete de Deputados Operários e Soldados e a questão de sua reorganização; estrutura de organização partidária; atitude para com as outras tendências social-democratas; eleições municipais; assédio ao Pravda.

Lênin foi eleito presidente honorário da Conferência. Apresentou o principal relatório político sobre “Tarefas Atuais – Situação Atual”, e fez parte da comissão para elaborar as resoluções: “Sobre a atitude em relação ao governo provisório” e “Sobre a guerra”; ele propôs as resoluções “Sobre as eleições municipais” e “Sobre a atitude em relação aos partidos socialistas-revolucionários, social-democratas mencheviques, social-democratas “não faccionais” e outras tendências políticas afins”.

A tentativa de Kamenev em seu discurso e suas emendas à resolução de Lenin sobre a atitude para com o Governo Provisório de submeter a demanda de controle sobre ele foi exposta por Lenin como conciliadora, assim como a política de Chkheidze e Steklov.

Por esmagadora maioria, a Conferência adotou a resolução de Lenin sobre a atitude para com o Governo Provisório. Na primeira sessão, aprovou o apelo de Lênin contra os promotores de distúrbios. Aos trabalhadores, soldados e toda a população de Petrogrado.”

Em 19 de abril (2 de maio), as sessões foram interrompidas devido ao movimento massivo de protesto em resposta à nota do Governo Provisório às potências aliadas em 18 de abril (1 de maio) expressando sua disposição para continuar com a guerra imperialista. A Conferência decidiu exortar os operários e militares a manifestarem de forma organizada a sua solidariedade com as proposições fundamentais da resolução do Comitê Central do Partido de 20 de abril (3 de maio) sobre a crise em conexão com a referida nota do Governo Provisório (ver presente edição , Vol. 24, pp. 184-85). Os delegados participaram do trabalho explicativo realizado pelo Comitê Central com nas massas. Em vista disso, as sessões subsequentes não foram totalmente assistidas.

As decisões da Conferência da Cidade de Petrogrado testemunharam a coesão dos Bolcheviques de Petrogrado em torno das “Teses de Abril” de Lenin; as táticas de Lenin foram aprovadas pela organização partidária da capital, a maior do país. As resoluções da Conferência de Petrogrado formaram em grande parte a base das resoluções da Sétima (abril) Conferência de Toda a Rússia da POSDR (B.) (Veja a presente edição, Vol. 24, pp. 139-70). p. 400


1

RELATÓRIO SOBRE A ATUAL SITUAÇÃO E A ATITUDE EM RELAÇÃO AO GOVERNO PROVISÓRIO DE 14 (27) DE ABRIL – RELATÓRIO DO JORNAL

As velhas e tradicionais fórmulas (ditadura do proletariado e do campesinato) não mais atendem às novas condições. Uma ditadura democrática-revolucionária foi estabelecida, mas não da forma que imaginávamos: ela está interligada com a ditadura da burguesia imperialista.  A guerra imperialista confundiu tudo, transformando os adversários raivosos da revolução – os capitalistas anglo-franceses- em apoiadores da revolução pela vitória (o mesmo se aplica ao comando decepado do exército e à burguesia contrarrevolucionária).

É esta confluência histórica única de circunstâncias que gerou uma dupla ditadura: a ditadura da burguesia e a ditadura da democracia revolucionária. Em termos organizativos, o povo nunca conseguiu acompanhar a burguesia; na Rússia, o povo criou seu próprio poder organizado sem ter alcançado a independência política. Daí o duplo poder, a atitude inconscientemente confiante da maioria pequeno-burguesa das massas militares e de um setor operário ao Governo Provisório, e a submissão voluntária da democracia revolucionária à ditadura burguesa. A característica específica da situação atual é que a falta de consciência política por parte das massas impede o estabelecimento de uma maioria estável e consciente do lado da política proletária (todas as outras tendências políticas passaram inteiramente para a posição pequeno-burguesa). A democracia revolucionária é um conjunto dos mais diversos elementos (em termos de status e interesses de classe, que não são, de forma alguma, a mesma coisa!). Sua estratificação: no campo – os camponeses abastados, que foram fortalecidos pela lei de 9 de novembro, e os pobres, camponeses com um cavalo e sem cavalos, e nas cidades – os setores próximos à classe trabalhadora e aos pequenos proprietários; a separação dos proletários e semiproletários da pequena burguesia é inevitável, mas a consolidação dos elementos proprietários no bloco revolucionário pode muito bem avançar a um ponto em que prevalecerá sobre a organização das massas em torno de palavras de ordem proletárias. É bem possível, portanto, que o poder permaneça nas mãos da burguesia, e que não haja transferência de poder para os Sovietes de deputados de trabalhadores e soldados. A conclusão: não estamos perante a tarefa de derrubar o Governo Provisório – ele repousa sobre a confiança dos pequeno-burgueses e uma parte das massas operárias- mas sim com a tarefa de explicar cuidadosamente as tarefas e organização de classe.

[Pravda,  40, 8 de maio (25 de Abril) de 1917]

2

DISCURSO PARA PROPOR UMA RESOLUÇÃO SOBRE A GUERRA 22 DE ABRIL (5 DE MAIO)

A resolução sobre a guerra foi elaborada no comitê, mas a versão final ainda não foi elaborada. Penso que, em sua redação final, a resolução será apresentada diante da conferência geral do Partido, e agora proponho que seja lida em sua forma atual.

A resolução consiste em três partes: 1) causas objetivas da guerra, 2) defencismo revolucionário e 3) como terminar a guerra.

[Publicado pela primeira vez em 1925 no livro Petrogradskaya obshchegorodskaya i Vserossiskaya konferentsii POSDR (Conferência de Petrogrado e Toda-Rússia do P.O.S.D.R.[B], abril 1917). Impresso de uma cópia datilografada da ata.]

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pocket

Deixe um comentário