Alienação e Proletariado: da perda à subjetividade, uma leitura do poema “Quando e por que nascemos” de Mauro Iasi.

Por Daniel Alves Teixeira, membro do Círculo de Estudos da Ideia e da Ideologia.

Recentemente, em um evento organizado pelo PCB de São Paulo, tive a oportunidade de conhecer um poema de autoria de Mauro Iasi, lido por uma das camaradas presentes no encontro. Ouvindo o poema me Continue lendo “Alienação e Proletariado: da perda à subjetividade, uma leitura do poema “Quando e por que nascemos” de Mauro Iasi.”

A Solidão da Marginalidade: a comunidade daqueles que não tem uma comunidade

Por Eduardo Henrique Nascimento Silva

Tolstói, Dostoiévski e até mesmo Gorki não seguiram o caminho de Kafka. Não. O primeiro se consagrou em obras que descreviam a contemplação de sua classe originária (pequena-burguesia) ao czar; o segundo, que entre uma obra e outra, Continue lendo…

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑